Loading...

domingo, 28 de outubro de 2012

Dia Mundial da Psoríase - 29 de outubro


Amanhã, dia 29 de outubro, é o Dia Mundial da Psoríase, uma doença crônica da pele, imuno-inflamatória, não contagiosa e que afeta em torno de 3% da população mundial. Seu acometimento é frequente em homens e mulheres na faixa entre os 20 e 40 anos de idade, não sendo descartada em outras faixas etárias, como na infância que pode atingir 15% dos casos.
Apesar das diversas pesquisas que são desenvolvidas, não podemos afirmar ao certo os motivos que desencadeiam a doença, entretanto o fator genético está relacionado em 30% dos casos. Fatores como o estresse emocional, traumas ou irritações na pele, infecções na garganta e alguns medicamentos específicos são considerados fatores predisponentes.

Sintomas
A doença se manifesta por lesões róseas ou avermelhadas, recobertas por escamas esbranquiçadas e na maioria dos casos podem aparecer em diversas regiões do corpo como: couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

Tratamento
·         Reduzir os fatores predisponentes e/ou agravantes (citados acima)

·         Medicamentos de uso tópico (pomadas, gel e xampus)

·         Sessões de fototerapia

·         Medicamentos de uso oral ou injetável

Orientações
  • Mantenha uma alimentação saudável
  • Evite ingestão de bebidas alcoólicas
  • Exposição ao sol é fundamental, porém deve ser utilizado sempre o filtro solar
  • Evite o ressecamento da pele mantendo-a hidratada
  • Evite o estresse e mantenha a auto estima sempre elevada
 
“Siga as orientações de seu dermatologista e mantenha-se sempre forte”

Um abraço a todos

Denis

 FONTE: http://www.diamundialdapsoriase.com.br

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Oxandrolona: Conheça seus riscos


Conheça os efeitos e RISCOS dessa substância que ronda as academias brasileiras e que pode deixar sequelas irreversíveis à todos aqueles que a utilizam.

Por Que Virou "Febre" Nas Academias?

As mulheres têm sido atraídas pelos comprimidos de oxandrolona por dois motivos. O primeiro - e mais óbvio - é que a substância, derivada da testosterona, proporciona o crescimento muscular. Lembre-se de que os homens têm mais músculos do que as mulheres justamente por causa desse hormônio. O segundo é que, em tese, ela teria menos efeitos colaterais do que outros anabolizantes, masculinizando menos. "Diversos estudos questionam exatamente isso", diz o nutrólogo Claudio Barbosa, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Possui Efeitos Colaterais?

SIM, utilizar oxandrolona é um perigo, ainda que por pouco tempo. Os efeitos masculinizantes, ao contrário do que se pensa, aparecem: voz grossa, queda de cabelo ou aumento excessivo de pelos no corpo, ginecomastia (em homens), alterações na textura da pele (acne) e muitos outros. O consumo pode levar ainda a transtornos psicológicos, aumento da agressividade e doenças sérias. "Quando utilizado puramente para fins estéticos de ganho de massa muscular, devido às doses ingeridas, pode gerar até tumores, principalmente no fígado", avisa Souza. "Todo e qualquer medicamento só deve ser usado para as doenças de que trata, e nunca com finalidades estéticas - sempre que isso é feito, as chances de prejudicar o organismo são muito altas."
 
Mercado Negro

Você deve estar se perguntando como é que, então, tanta gente tem conseguido a substância nos últimos meses. "O problema é o tráfico de medicamentos, que facilita o acesso à oxandrolona. A origem é duvidosa, ela pode ser falsificada e você nem saber exatamente o que está consumindo", alerta o nutricionista esportivo Rodolfo Peres, de São Paulo.
 
Saída Saudável
 
Conquistar um corpo tonificado e definido exige dedicação e força de vontade. Mas, seguindo a receita tradicional, você terá a certeza de que os resultados obtidos serão saudáveis. "O atual desejo na maioria de homens e mulheres,  é possuir um físico com pouco teor de gordura corporal e ganho de massa muscular, uma dieta bem elaborada, acompanhada de um treino intenso, alcançará tal resultado", garante Peres.
 
Uma ótima semana a todos
 
Denis
 
 
            www.mdemulher.abril.com.br