Loading...

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Doença de Osgood-Schlatter

Esta doença se caracteriza pelo aumento de volume da tuberosidade anterior da tíbia, acompanhado de dor, edema, claudicação (alteração no padrão da marcha). A etiologia não é bem definida, entretanto, o que pode ser afirmado é que o sexo masculino é mais atingido, com predomínio na faixa etária dos 8 aos 14 anos, praticantes de esporte (principalmente o futebol) e que apresentem um período de crescimento rápido (fase do “espigão”). Existem diversas teorias, entre elas, é que o surgimento ocorre pelo excesso de utilização do músculo quadríceps (região anterior da coxa), que por sua vez resulta em um tracionamento repetitivo da tuberosidade anterior da tíbia através do tendão patelar (que une essas estruturas)
Fig1. Estruturas anatômicas do joelho envolvidas na lesão

O diagnóstico é realizado através do exame físico onde o profissional poderá fazer a inspeção e a palpação, verificando os sintomas relatados.  Os exames radiológicos, mais especificamente o Raio X, poderá encontrar alterações como: tuberosidade anterior da tíbia aumentada (Fig 2.), fragmentos ósseos com irregularidades e/ou até mesmo soltos (Fig.3).
Fig2. Tuberosidade anterior da tíbia
aumentada
Fig3. Raio X com fragmentos ósseos
 na tuberosidade
da tíbia
 


 
 
 
 
 
 
 
O tratamento pode ser baseado em:
·         Repouso e/ou redução na prática de atividades com alto impacto articular
·         Aplicação de compressas de gelo
·         Utilização de bandas elásticas
·         Eletroterapia (analgesia e redução da Inflamação)
·         Hidroterapia
·         Alongamentos musculares (principais grupamentos do membro inferior)
·         Fortalecimento muscular será preconizado quando houver redução da sintomatologia.
 
Abraço a todos

Denis

Nenhum comentário:

Postar um comentário