Loading...

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Efeitos da Creatina


A creatina foi identificada em 1832 por Michel Eugéne Chevreul, inicialmente definida como um elemento básico do sistema músculo-esquelético. A creatina é um composto naturalmente encontrado em alimentos de origem animal (principalmente na carne e peixe), tem sido considerada um suplemento nutricional efetivo na otimização do desempenho de atividades físicas.

Este componente é sintetizado no fígado, rins e pâncreas, sendo estocada no músculo-esquelético onde pode assumir a forma livre (40%) ou fosforilada (60%).

Possui fundamental importância na contração muscular, funcionando como um importante reservatório de ATP (energia), muitos estudos, em sua maioria, defendem a eficácia da creatina em atividades de curta duração, de alta intensidade e com curtos períodos de recuperação. Segundo alguns autores, a suplementação aguda de creatina parece provocar aumento de massa magra e aumento da resistência à fadiga (reservas de ATP), porém, esse aumento parece ser conseqüente de um maior acúmulo de água corpórea, lembrando que a creatina atua diretamente na retenção hídrica. Deve ser lembrado que o fator psicológico do atleta está diretamente envolvido com a melhora do rendimento, pelo simples fato de estar utilizando o componente, o indivíduo automaticamente demonstrará maior vontade e determinação nos treinamentos, o que pode resultar em melhora do volume e força muscular.

Para otimizar o efeito da creatina os especialistas orientam os atletas a manterem um bom nível de hidratação durante todo o período de treinamento, devendo ser utilizado de maneira contínua por um período máximo de 8 a 10 semanas (em dosagens altas), após isto pode levar a sobrecarga dos sistemas renais e hepáticos.

Tarnopolsky et al. (2003) demonstraram que a suplementação a longo prazo com creatina pode levar indivíduos a um quadro de hepatite. Edmunds et al. (2001) avaliaram os efeitos da suplementação com creatina sobre a progressão da doença renal cística demonstrando que a suplementação acelerou a progressão da doença e sugerindo que a suplementação com creatina deveria ser realizada com especial cuidado em pacientes renais.

Em 2005, a venda de creatina como suplemento alimentar foi proibida pela ANVISA em todo Brasil, entretanto, esta proibição foi revogada em abril de 2010 com a publicação de uma nova regulamentação de alimentos para atletas, onde há uma recomendação clara para o uso do suplemento a base de creatina apenas para atletas que praticam exercícios de alta intensidade.

Para aqueles que pretendem utilizar o produto,
procurem antes realizar uma avaliação médica completa,
além de um acompanhamento nutricional específico.

Um Abraço

Denis

Nenhum comentário:

Postar um comentário