Loading...

terça-feira, 1 de março de 2011

Exercícios de abdômen acabam com a "barriguinha indesejada"??

Na verdade considero justo iniciar as postagens do blog com este tema, pois certamente é uma das dúvidas mais frequentes que costumo escutar de alunos, pacientes e amigos.

O que é importante sabermos é que o abdômen é um grupamento muscular, composto pelos músculos: Oblíquo interno, Oblíquo externo, Transverso do abdômen e Reto do abdômen. Cada um deles possuem funções específicas no tronco, contudo, atuam diretamente no controle postural e na estabilização da coluna lombar (entre outras funções). Tornando fundamental a todos aqueles que praticam uma atividade física regular (corrida, musculação, natação, entre outras) a orientação da contração abdominal durante o gesto desportivo, servindo para aumento de força e sustentação da coluna lombar.

Quanto a pergunta acima a resposta é NÃO... O abdômen possui características semelhantes a outros grupamentos, capacidade de adquirir força, volume e resistência. Quando uma pessoa fortalece com intensidade e frequência os abdominais, ela esta realizando um treinamento direcionado para os músculos e não atuando diretamente na concentração de gordura existente ali.

Já ouvi de muitas pessoas a afirmação: "Pessoas mais gordinhas não possuem abdominais fortes", frases como esta são totalmente equivocadas e incorretas, pois, qualquer pessoa pode desenvolver músculos fortes, porém a gordura localizada na região recobre a musculatura impedindo que a mesma ganhe contornos. 

Entretanto, se o desejo da pessoa é adquirir o tão sonhado "abdômen em tanquinho" deve adotar desde já uma boa educação alimentar, consuma menos calorias do que aquelas que gasta e praticar atividades aeróbias, pois caso contrário, só com os tradicionais abdominais este indivíduo estará adquirindo apenas força e não atingindo a definição muscular tão almejada.

Não podemos nos esquecer que uma barriga "saliente" pode ter diversas causas como: herança genética, alteração hormonal, retenção de líquido, excesso de peso etc.

Sendo fundamental investigação de cada caso isoladamente.

2 comentários:

  1. Muito interessante a matéria! E na verdade, esta "cultura ao corpo", em contrapartida a uma melhor saude alimentar, parece que vende mais. É só lembrar da debilidade norte-americana em entender o porquê de sua população sofrer tanto de obesidade e doenças coronarianas. É triste dizer, mas parece mais facil tomar remédios e fazer exercício do que mudar a cultura alimentar de um povo.

    ResponderExcluir
  2. Artigo útil e muito bem escrito... Sempre me interesso sobre esses assuntos...
    Se puder, continue postando... Abs!

    ResponderExcluir